A preocupação com a capacidade de liderança do corpo gerencial da empresa tem sido o fio condutor da gestão de pessoas da Liquigás Distribuidora. Como parte dessa estratégia, trabalhamos intensamente para aperfeiçoar o perfil dos nossos líderes, sempre buscando melhores condições de compreensão e atendimento às necessidades de suas equipes. Nesse contexto, realizamos neste ano o treinamento Liderança Situacional com a participação de todos os nossos diretores, gerentes e supervisores. O objetivo foi deixá-los ainda mais preparados para o exercício de suas atribuições de líderes e, consequentemente, alcançar os melhores resultados, já que a capacitação fornece subsídios para que adaptem o estilo de liderança ao nível de desenvolvimento dos colaboradores.

E é exatamente essa a nossa expectativa: que o treinamento resulte em profissionais mais engajados, capazes de produzir melhor e de superar metas, fazendo com que a companhia atinja resultados tão positivos quanto os de 2016. Vale lembrar que, apesar de ter sido um ano bastante adverso no panorama econômico nacional, a Liquigás obteve, no ano passado, um excelente resultado. Também atingimos o menor número de acidentes com afastamento de funcionários da nossa história e, hoje, somos referência em SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde) para o setor nacional de distribuição de gás liquefeito de petróleo e temos taxas de acidentes de classe mundial em nosso setor de atuação.

A evolução positiva desses indicadores demonstra o acerto da gestão, focada em pessoas, controle de custos, ganhos de produtividade, planejamento tributário e otimização de fretes e serviços. Mas, mais do que isso, temos a certeza de que o ano bem-sucedido foi proporcionado principalmente pelo comprometimento e pela competência de toda a nossa força de trabalho, e vem daí a importância de continuarmos estimulando o desenvolvimento das qualidades de cada um.

A melhor maneira de seguir incentivando nossas equipes é fortalecer, em nossas lideranças, a aptidão de construir parcerias com seus colaboradores, envolvendo-os no esforço contínuo de realizar mais e criando condições para que tenham sucesso. E isso passa, imprescindivelmente, pela adequação do estilo de liderança do gestor ao nível de desenvolvimento de cada um de seus liderados. Dessa forma, ele amplia a interação com a equipe sob sua responsabilidade, levando em consideração as necessidades, competências e anseios de cada um. Como nos ensina o professor Ken Blanchard, diretor da The Ken Blanchard Companies, organização especializada em gestão e formação de lideranças, às vezes, isso significa virar a pirâmide da organização de cabeça para baixo para que o líder entenda que, na prática, trabalha para o seu pessoal. É ele quem dá apoio, encoraja e redireciona o funcionário quando necessário, ao invés de simplesmente julgá-los. O esforço para auxiliar os liderados a atingir seus objetivos é parte dessa estratégia de parceria, uma vez que amplia a possibilidade de que sejam bem-sucedidos.

Vera Regina é gerente de Recursos Humanos da Liquigás Distribuidora

Evidentemente que esse processo tem de levar em conta os diferentes estilos de liderança e o nível de cada profissional. O líder não pode perder de vista, portanto, a necessidade de conduzir a equipe em favor da alta competência e alto desempenho, em um processo que passa por quatro ações principais: dirigir, orientar, apoiar e, finalmente, delegar.

O modelo de liderança centrado nas pessoas cria comprometimento, o que sem dúvida é de extrema relevância para bons resultados e para a perenidade do negócio. Além disso, o fato de todos os gestores passarem a atuar de forma mais próxima aos colaboradores facilita o alinhamento de objetivos e ações de gestão na companhia como um todo. Na prática, significa redução de desperdícios e de retrabalho, com efeitos diretos na geração de valor. Trata-se ainda de uma Vera Regina Benedet Barreiros é gerente de Recursos Humanos da Liquigás Distribuidora filosofia de benefício mútuo, na qual a valorização do trabalhador reflete diretamente em sua produtividade e, sobretudo, no clima do ambiente de trabalho, contagiando os demais colaboradores.

A adoção de uma estratégia de gestão de pessoas que favoreça a obtenção do melhor de cada um – em favor de todos – certamente nos auxiliará a continuar nessa jornada de sucesso. Afinal, reforçando as palavras do professor e presidente da consultoria Intercultural, Peter Barth, responsável pelo treinamento de Liderança Situacional, existe uma forte correlação entre os índices de satisfação dos colaboradores e dos clientes, de modo que resultados positivos e que se sustentem ao longo do tempo só são possíveis se tivermos uma força de trabalho altamente engajada.

Peter Barth

Peter Barth

Peter Barth é psicólogo organizacional, Master of Science in Management. Foi professor da EAESP-FGV e da FGV-RJ, totalizando 13 anos de ensino acadêmico. Nasceu na Suiça e reside no Brasil desde 1946. Atua há 55 anos em consultoria organizacional, treinamento e educação corporativa.